terça-feira, 30 de abril de 2013

DIA DO TRABALHO



UM ABRAÇO A TODOS QUE, COM SEU QUINHÃO 
DE ESFORÇO, FAZEM O MUNDO SER 
CADA VEZ  MELHOR 

domingo, 28 de abril de 2013

PINTURA DE SOPRO

Como fazer artisticamente uma pintura de sopro? 

Assista ao vídeo e saiba como fazer. É bem rapidinho e fácil.


ESPERO QUE TENHAM GOSTADO DA SUGESTÃO

quarta-feira, 24 de abril de 2013

DANÇA x EXPRESSÃO CORPORAL


DANÇA 

A dança é uma forma de autoconhecimento, educação da sensibilidade e forma de comunicação. Movimentando o corpo estabelece-se uma íntima relação com a expressão corporal porque é o corpo e os movimentos são seus meios de expressão.

Mas, há uma diferença fundamental entre dança e expressão corporal. Na dança, as academias estão preocupadas com a formação do profissional. Seus cursos estão calcados nas metodologias, nos processos de ensino-aprendizagens, discutem o campo crítico-reflexivo. Em outras palavras a dança está mais ligada a um caráter sério e técnico pautado em fundamentos teórico e que não dá espaço para a ludicidade.



Já na Expressão Corporal o que se vê é mais um “brincar” com o corpo de onde não se descarta a linguagem, as sensações, os sentimentos e pensamentos realizados com ele. (STOKOE E HARF,1987)



Segundo BRIKMAN (1989), a Expressão Corporal desempenha e amplia todas as possibilidades humanas. Possibilidades que trazem o conhecimento pessoal e individual, dando ao corpo a oportunidade de manifestar suas experiências e vivências do cotidiano e da arte.

Podemos dizer que, nas danças do final do século XIX para os dias de hoje, existe  uma preocupação maior com a consciência do movimento. Para atingir esta consciência utiliza técnicas diferenciadas da dança clássica. Uma técnica onde a expressão corporal descreve um resumo denso e breve do cotidiano, do cultural, das necessidades e desejos humanos e bem menos do irreal e do imaginário.

As danças atuais já não privilegiam o bailarino por seu virtuosismo, mas iguala a todos no mesmo patamar quando a dança é feita por um grupo. O  ambiente em que elas acontecem não são somente os palcos dos grandes e imponentes teatros, mas acontecem também nas ruas, praças, galerias, shopping centers, estações de metrô etc. Os movimentos não são os padronizados pelas danças clássicas, são mais leves e soltos, pois estimulam a criação, as pesquisas sobre novos movimentos e novas possibilidades de realização. Mas, tanto umas como as outras são estéticas, ou seja, o belo sempre está presente.

Uma dança (clássica ou expressiva corporal) nunca está pronta. Sempre há espaço para a criatividade, para uma expressão interior, para um novo sentimento ou pensamento impresso num movimento. E este está repleto da contribuição pessoal. Então, passa a ser único, original e criativo.

fontes:
BRIKMAN, Lola. A linguagem do movimento corporal. São Paulo: Summus, 1989.
STOKOE, Patrícia. Expressão Corporal na pré-escola. Patrícia Stokoe, Rut Harf; Tradução de Beatriz A. Cannabrava.  SP: Summus, 1987.

terça-feira, 9 de abril de 2013

CRIATIVIDADE EM TODO LUGAR

Olá amigos! Voltando a falar de criatividade tenho novidades para vocês.

Muitas mães afirmam que seus filhos não querem comer. Mal colocam o prato em sua frente para que as mãozinhas da criança o empurrem para bem longe, não é mesmo? Se forçamos, começa a choradeira, as manhãs e as birras. E aí, o que deveria ser uma refeição calma e tranquila, vira uma guerra.

O pior de tudo é que acabamos cedendo a essa chantagem emocional que a criança faz. Deixamos que ela deixe os alimentos de lado e, mais tarde, acabamos de entupí-la  de balas, bolachas e doces. Não seria isto o que ela queria?

Mas, para tudo tem uma solução. E o nome é CRIATIVIDADE!

Duvido que as crianças de qualquer idade recusem pratos com alimentos apresentados desta forma. 

PARA O ALMOÇO E/OU JANTAR

 

 

PARA A HORA DO LANCHE

 

"Ah! mas dá muito trabalho"! - dizem algumas mães. Pois é, por dar trabalho (mesmo que não seja muito) é que as crianças estão ganhando espaço e fazendo o que querem. Perca um pouco do seu tempo e ensine se filho a se alimentar direito.

"Não sei arrumar desse jeito porque não tenho habilidade artística" - dizem outras. Estas são apenas sugestões e cada uma faz o que sabe e da forma como sabe.O importante é que se comece, pratique e seja perseverante. Seja criativa.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

CONTANDO HISTÓRIAS COM BARQUINHO DE ORIGAMI

Ensine as crianças a fazer um barquinho como este do vídeo


 Para que as crianças aprendam a registrar para depois contar a você ou aos pais e amiguinhos, ensine-os a fazer os cenários com colagem, desenho e pintura. Faça vários.


 

 

Depois, invente uma história em que você possa movimentar o barquinho. Não importa se os barquinhos não são todos da mesma cor. O importante é que as crianças se beneficiem das inúmeras aprendizagens que o origami traz.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

CRIATIVIDADE NA VIDA PROFISSIONAL

Com o avanço tecnológico, as empresas têm necessidade de se adequar as novas mudanças. Como qualquer organização, por mais funcional que seja, não dura para sempre. MUDAR, RECICLAR E INOVAR - são palavras de ordem de qualquer empresa da atualidade. E, para isso, é preciso criatividade.

As empresas também precisam comercializar os produtos que fabrica. A renda conquistada da venda de seus produtos serve para resolver problemas de produção, abrir novas vagas de emprego, conquistar novos clientes e fornecedores. Em outras palavras, as empresas precisam expandir. E para isto, a criatividade é essencial.

Mas o funcionário também precisa ser criativo. Não só para conseguir um emprego, mas também, para manter-se empregado. Resumindo, a criatividade é importante e necessária para a empresa, para o empregador e para seus funcionários.

Empresas em que a criatividade não é exigida progridem muito pouco. Seus funcionários não trabalham com vontade, sentem medo de verbalizar ideias ou de propor mudanças. E há muitas empresas em a mesmice é desesperadora. 

Vejam o que diz George Bernard Shaw:


Embora Jung considerasse a criatividade como um instinto natural nos humanos, ela pode ser aprendida e desenvolvida. Muitas empresas investem pesado em projetos e programas de capacitação de funcionários, criam oportunidades para que os funcionários possam opinar, sugerir ou colocar em prática algumas mudanças no ambiente de trabalho. Com isto, o trabalho fica mais prazeroso, mais leve e agradável porque sentem-se valorizados e fica mais fácil “vestir a camisa da empresa”.


Mas, nem sempre a falta de criatividade é culpa da empresa. Muitos funcionários acreditam que se colocarem alguma ideia ou se der alguma sugestão serão criticados ou gozados pelos colegas de trabalho. Outros, não acreditam em si mesmos e não acreditam que possam ter uma ideia aproveitável. Estas pessoas acabam por bloquear, não só a sua própria criatividade, mas também bloqueiam todas as oportunidades para desenvolvê-la.

Geralmente, quando se fala de criatividade no ambiente de trabalho, logo vem à mente, um funcionário que faz tudo, sabe tudo, tem ótimas ideias que são aplaudidas e aproveitadas por todos. Bobagem! Funcionários assim não existem nas empresas modernas. Isto porque, a maioria das empresas da atualidade descobriu que o trabalho compartilhado é mais vantajoso e eficaz.